terça-feira, 3 de novembro de 2015

Desabafo

Hoje teve o meme "mesmo vivo morto pra mim" quase compartilhei. Desistir foi questionador, me fez lembrar que queria fazer um post dedicado aos desafetos.
Ontem tomando banho senti uma liberdade incrível, um novo sentimento fluiu deixando pra trás muitas coisas que de tão importadas, importantes porque eu dava importância, perderam sentido e forma. Algumas pessoas que eu achava que tinham sido más comigo, pois suas ações e palavras me magoaram profundamente. Quando aconteceu, eu julguei, sofri, chorei muito no ombro dos amigos que sobraram, quis voltar no tempo e até me culpei por escolhas que outras pessoas tinham feito. E doía tanto que nem queria mais existir. Era culpa delas, eu bradava.

Mas ontem, tomando banho eu deixei tudo isso ir embora e como existo muito aqui nesse local virtual, pensei logo num post onde eu dissesse a essas pessoas que tava tudo bem, que finalmente eu tinha entendido que elas estavam apenas vivendo a vida delas e que de alguma maneira as consequências dessas escolhas escorriam para a minha vida, mas simplesmente porque eu deixava, permitia que isso me magoasse. Pensei em desbloquear todo mundo, deixar que lessem esse post e ainda convocaria a todos que tivessem um problema da vida real comigo que viessem resolver, sendo seduzidos pela frase: - Eu não sou mais a mesma pessoa de ontem!
Daí, essas pessoas de quem estou falando perderam a importância que um dia dei a elas e assim, lembrei de outra que eu não sei se quero que venha falar comigo. Não, eu não quero. Mas ela não morreu pra mim, ela existe. Estou em uma nova encruzilhada porque sei que fui deliberadamente lesada por essa pessoa, não foram suas escolhas que me magoaram, foi feito para que eu sofresse. Por gula e ego.
Posso dizer, não sou mais a mesma pessoa de ontem, tenho certeza. Também sei que foi o perdão que me colocou onde estou agora. Presta atenção, perdão a mim mesma. Ao admitir meus erros e perdoá-los, imediatamente a mágoa a eles desapareceu sem sentido, mas também sei o que não faria jamais a ninguém e perceber que alguém ultrapassou esse limite comigo, atrapalha qualquer relação futura.
Eu não sou mais a mesma de ontem e tem pessoas que não quero na minha vida.
Hoje dia dos mortos é dia de celebrar a vida dos que sobraram e dos que virão. Acredito nesse ciclo que a mulher esqueleto me ensina diariamente. Vida, morte, vida.

Nenhum comentário: